Make your own free website on Tripod.com
ACONSELHAMENTO EFETUADO: A TRANSFORMAÇÃO BÍBLICA.

Bem vindos ao curso sobre Aconselhamento Cristão - Parte 5

A meta do aconselhamento é a mudança Bíblica, porém, apesar da mudança ser algo necessário, não é uma empreitada fácil.
Os conselheiros não deveriam ficar surpresos, pois, quando seus aconselhados protestam: Eu nunca mudarei, ou então Penso que sou desse jeito. Os que aconselhamos continuamente confundem padrões de comportamento que aprenderam com a natureza herdada. Os conselheiros podem aceitar como regra que qualquer qualidade de vida, atitude mental ou ativa de Deus requeira do homem, pode ser adquirida por meio do Senhor Jesus Cristo.
Um fato que dificulta a mudança é quando as se fixam no passado, pois ninguém pode mudar o que passou, a própria pessoa aconselhada conforme ela é agora, é que deve ser mudada. Só se pode tratar com o passado no presente, é isso através do que herdaram da retificação e de outras alterações que tenham de ser feitas agora. Conseguinte, os conselheiros não se devem deixar apanhar na teia das preocupações, da autocompaixão, do dessencorajamento e dos lamentos em que foram embaraçados os aconselhados. Se os conselheiros também se deixarem enredar nas malhas do que poderia ter sido, serão incapazes de ajudar seus pacientes a se libertarem.
A tarefa do conselheiro cristão consiste em chamar ao arrependimento, que é um apelo para que o homem mude (a mudança de mente conduz a mudança de vida). O arrependimento difere de mera tristeza ante o passado. A tristeza pode acompanhar o verdadeiro arrependimento, mas nunca deve ser identificar com ele. O caso de Esaú, por exemplo: Ele entristeceu-se com as conseqüências finas do seu passado não se arrependeu realmente (Hebreus 12:16-17).
A mudança que consiste em dois fatores:
Ele deve estar sempre presente para que se efetue uma mudança genuína. O dessencorajamento, não seria permanente sem o revestimento; e o revestimento seria hipócrita, além de temporário senão fosse precedido pelo despojamento. Por exemplo: um ladrão continuará a ser um ladrão se somente houver cessado os seus furtos, nesse caso será apenas que no momento, deixou de roubar. Sob pressão, porém provavelmente reverterá ou voltará ao antigo hábito. Porém se depois de arrepender-se arranjar um emprego, trabalha arduamente para ganhar honestamente o seu dinheiro, e aprender a grande bênção de que é contribuir para as necessidades alheias, então não será mais um ladrão, tornar-se-á desabituado de furtos somente quando torna a habitua-se ao trabalho duro e a compartilha com o próximo daquilo que tem. Paulo nos dá outro exemplo sobre a ira: Irai-vos, mas não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira. Efésios 4:26.
DESPOJAMENTO: Ressentimento (conserva a ira).
REVESTIMENTO: Trata dos problemas na medida em que eles surgem diariamente (que a ira ceda lugar às soluções bíblicas).

Fogo!

1- Revestimento: palavras que edificam o próximo.
2- Despojamento: palavras ferinas que ofendem a outros.